Santuário Frei Galvão

Santuário Frei Galvão

Quem conhece nosso Santuário sabe que é uma igreja simples. Nosso chão é de terra batida com muita poeira na seca, ou barro na chuva. Nossas estruturas ainda precisam de muitas melhorias. Nosso confessionário é improvisado. Não temos afrescos, grandes obras de arte ou ouro em nossas paredes. Até mesmo o nosso sacrário é de simples madeira. Enfim, apenas um templo humilde e despojado.
No entanto, a cada domingo que passa tenho percebido que mais e mais pessoas têm vindo celebrar conosco. Nossa Igreja de Frei Galvão está ficando pequena para tanta gente.
O povo vai chegando cada vez mais cedo para encontrar um lugar. E quando a Igreja está lotada, as pessoas vão se acomodando nas portas, no lado de fora, sentam-se em cadeiras, bancos, no chão ou até mesmo de pé. Nem a chuva, sol, calor ou frio afasta os fiéis dessa nossa modesta igreja.
Diante disso, mais uma vez renovo a minha convicção de que Deus se faz presente no simples, no frágil e no pequeno, e que é isso que realmente as pessoas buscam: um Deus acessível, descomplicado e simples, que se revela amigo, próximo e acolhedor
Por tudo isso, só tenho a agradecer a Deus pela oportunidade de estar vivendo nessa realidade e peço que nunca percamos nossa essência Franciscana, pois é ela que continua atraindo e encantando, há mais de oito séculos, a tantas pessoas.
Que São Frei Galvão nos faça fiéis às nossas origens e que possamos continuar divulgando a sua devoção através do testemunho de uma vida realmente evangélica e Franciscana.
 
Frei Diego Atalino de Melo (reitor)