Santuário Frei Galvão

Primeira Celebração do Perdão de Assis no Santuário Frei Galvão

“O Sol nascente nos veio visitar” (Lc 1, 67-79). Foi com o nascer do sol que os frades e os devotos de Frei Galvão, reuniram-se pela manhã de segunda feira (2 de agosto) para o início das celebrações do Perdão de Assis.
 
A missa começou na parte interna do Santuário. Após os ritos iniciais, com motivações e cantos, todos se dirigiram ao terreno onde será construído o novo Santuário. Antes da Proclamação do Evangelho, as costas do celebrante, aos olhos do povo, o Sol despontava radiante. O astro luminoso não fez outra coisa senão um convite para louvação, nesse dia da misericórdia. 
 
 
Em meio aos fiéis, encontravam-se parentes de Frei Galvão. Estes trouxeram as cinzas do Senhor Edson Galvão, também parente do Santo. Edson Galvão (in memoriam) foi quem pode receber os frades neste Santuário, no ano passado. Grande incentivador da vida e devoção a Frei Galvão. Frei Diego Atalino de Melo, reitor, esteve por alguns meses em contato direto com o senhor Edson. Pode acompanhá-lo até os últimos dias de sua vida. 
 
Na celebração das exéquias do Senhor Edson, a família expressou o desejo de poder deixar as cinzas no Santuário. A fraternidade, consentindo e reconhecendo o grande valor deste gesto, concordou e pretende realizar o desejo expresso pela família. Contudo, fizeram um pedido a família: "que construísse uma capela dedicada a São José. E nesta mesma capela, seria depositada as cinzas do seu parente. E foi nessa missa, que o Filho Fernando e Frei Diego, confirmaram o surgimento desta capela provisória dedicada a São José, enquanto não surge o novo Santuário. A capela será simples, em vista do seu tempo provisório. 
 
 
O dia do Perdão de Assis foi celebrado também no Santuário do Pai das Misericórdias, em Cachoeira Paulista, na Canção Nova. Ao meio-dia, os frades Diego e Leandro, celebraram para todo o Brasil, por meio da emissora do Santuário, a memória festiva da Senhora dos Anjos (Porciúncula). Frei Diego, ao seu modo, fez a pregação; e Frei Leandro Costa, com o violino, ao seu modo, contribuiu na pregação. Ainda na Canção Nova, Frei Leandro participou do programa “Juntos somos mais”, refletindo acerca da temática do Perdão de Assis.
 
Um dos maiores e exigentes serviços do Santuário Frei Galvão, são as confissões. Na celebração das 15h, propositalmente neste dia do Perdão, foram inauguradas três capelas penitenciais (confessionários). Para esta missa, presidiu a missa Dom Diamantino de Prata de Carvalho, ofm, bispo emérito da diocese de São Lourenço - MG. 
 
 
Para finalizar o dia, foi celebrado o Perdão de Assis com a temática da Esperança. Todas as primeiras segundas-feiras de cada mês, o Santuário recorda os falecidos, juntamente com as famílias enlutadas. Essa celebração nasceu neste contexto de pandemia. Ao perceber as dores e tristezas das pessoas que acorriam ao Santuário, os frades propuseram esta celebração. E neste dia 2 foi acrescida com o Perdão de Assis (a indulgência plenária pode ser destinada aos falecidos).
Por essas e tantas outras atividades ocorridas na vida deste Santuário, somos tomados pela ideia de que aqui, a seu modo, é uma pequena Porção, onde Deus e sua Bem Aventurada Mãe comunicam-se com o seu povo.