Santuário Frei Galvão

25 DE OUTUBRO: Dia de festa e alegria, o povo aclama: VIVA FREI GALVÃO

Pela primeira vez, em um dia 25 de outubro, Frei Galvão viu seus Frades Irmãos, da OFM - Ordem dos Frades Menores, iniciarem uma festa em seu Santuário, em Guaratinguetá. Uma festa feita por irmãos (Os Frades Menores), para o Irmão (Frei Galvão) e com a presença de muitos Irmãos (todo o povo de Deus). 

Os motivos para festa e alegria são muitos: primeiro, o próprio fato de termos no Santuário a primeira festa sob a condução dos Franciscanos e em segundo a celebração dos 260 anos de profissão religiosa de Frei Galvão, marcando o momento em que ele passa a pertencer à Ordem Franciscana.

A programação do dia aconteceu com muita intensidade, desde as celebrações eucarísticas com a presença dos devotos, até a parte social e também a inauguração de dois locais muito importantes: o Alameda e monumento de Frei Galvão e também o Parque Laudato Sì, com milhares de mudas, que resultará em um reflorestamento de uma área de cerca de 20 mil metros quadrados.

O dia 25 de outubro começou bem cedo no Santuário do Primeiro Santo Brasileiro. A Santa Missa da Aurora, celebrada às 6h da manhã, abriu a programação solene de Frei Galvão. Presidida por Frei Leandro Costa, que acolheu os primeiros devotos e celebrou o início do dia festivo. 

 

Acolhida aos devotos e presença do Ministro Provincial

Após a primeira celebração da manhã, os devotos de Frei Galvão, guaratinguetaenses e pessoas de todo o Brasil começaram a chegar para a Celebração solene das 9h30. A acolhida se iniciou com a chegada, realizada pelo Reitor Frei Diego, ao lado do Ministro Provincial Frei Fidêncio.

"Quando chegamos aqui, sentimos que existia um grande sonho de todo esse povo. Um sonho à altura do primeiro santo brasileiro, Frei Galvão. Um sonho de construir um novo Santuário. Não é o sonho de vocês?”, perguntou o Reitor. 

Apesar do contexto da pandemia, já começamos a viver as movimentações de peregrinos no Santuário, com o avanço da vacinação e também a adoção de medidas de combate à covid. O Santuário recebe e acolhe os devotos em áreas internas, mas também em espaços externos com telões, caso se exceda a lotação da Igreja.

O Reitor do Santuário, ao acolher os devotos que chegam para participar das festividades, falou sobre o sonho da nova construção e também sobre o momento festivo que estamos vivendo: “Além de ser um sonho, nós também percebemos que é fruto de uma necessidade. Ficamos impressionados positivamente. O povo está voltando e tem fé. No dia 5 de junho entramos no novo terreno e começamos colocando a Pedra Fundamental - 20 árvores - o início dessa construção. E essa construção material vai ser como o crescimento dessas árvores. E o crescimento dessas árvores vai falar do crescimento espiritual dos nossos corações.”, recordou o Frade. 

“Uma pessoa sozinha - como diz o Papa Francisco na Fratelli Tutti - pode ter miragens, mas quando a gente sonha juntos podemos concretizar o sonho. E o sonho que nós temos é poder concretizar o Santuário Frei Galvão, que já existe no coração de todas as pessoas. Muito obrigado, confrades. Mosqueteiros corajosos, companheiros de boa vontade que aqui estão, Frei Roberto, Frei Leandro e Frei Diego", disse o Ministro Provincial.

Procissão até o terreno do Novo Santuário, Missa Solene e Inauguração da Alameda Frei Galvão

Com muita alegria, os devotos subiram pela nova “Alameda Frei Galvão”, rumo ao monumento que foi levantado inicialmente em honra ao Santo, para ali celebrarem juntos a Eucaristia e realizar a inauguração do mesmo.

Com cantos de muita alegria e louvando ao Senhor pelo grande dom que é a presença franciscana em Guaratinguetá, especialmente nesta nova missão, o povo de Deus subiu a alameda, chegando aos portões que dão acesso ao terreno do novo Santuário, que foi aberto pelos frades. Seguiram rumo ao monumento, com músicas e hinos preparados pela Banda da Escola de Especialistas da Aeronáutica.

A celebração eucarística foi presidida pelo Ministro Provincial Frei Fidêncio e concelebrada pelos frades da Fraternidade Frei Galvão: Frei Diego Melo, Leandro Costa e Roberto Ishara. 

Em sua homilia, o Ministro lembrou que Frei Galvão foi em seu tempo e continua sendo “um instrumento de caridade e de paz.”

Falando sobre as virtudes de Frei Galvão e o exemplo que é para nós, Frei Fidêncio recordou que: “Estamos aqui diante dessa grande imagem para recordar um homem que no seu tempo, foi para toda a Igreja, um homem da caridade, um homem da paz, pois foi assim que o Santo Padre, o Papa João Paulo II o definiu.”

A paz é um pedido constante e Frei Galvão nos ensina a encontrar e viver esse sentimento. “Mais do que nunca precisamos construir a paz. Mais do que nunca precisamos construir a concórdia. Não apenas entre nós, mas também com todas as criaturas”, recordou o presidente da celebração apontando para o Parque Laudato Sì e para o terreno do Novo Santuário.

Sobre o Evangelho, o Frei afirmou: "Tomai sobre vós o meu jugo, pois eu sou manso e humilde de coração. E nós vivemos num mundo onde muitas vezes o jugo é difícil, é pesado, pois eu carrego tantos problemas, tantas enfermidades. Como foi duro durante esta pandemia e ainda está sendo, carregar a covid dentro dos nossos lares, dentro das nossas famílias, vermos entes queridos partindo de uma hora para outra, sem uma despedida digna. Isso foi muito duro, foi um jugo pesado, mas não é este o jugo de Nosso Senhor Jesus Cristo.”

Ao finalizar, o Ministro Provincial convidou os devotos presentes a rezarem a Frei Galvão, pedindo o amor de Deus: “Vamos rezar, que nós queremos aprender de Frei Galvão, a vivermos neste mundo, uma vida nova de cristãos.”

Bênção dos ciclistas e Missa do meio dia

Seguindo com a nossa programação, após a celebração e inauguração da Alameda de Frei Galvão aconteceu a “bênção dos ciclistas”, demonstrando também o carinho do Santuário Frei Galvão, que é também um Santuário ecológico e se preocupa com a saúde e o bem-estar das pessoas, incentivando o cuidado integral com as pessoas, em todas as suas dimensões.

A bênção foi realizada pelo Reitor do Santuário na Alameda recém-inaugurada. Frei Diego lembrou que a Alameda dá acesso ao Parque Laudato Sì, que será um espaço propício para a caminhada e contato com a natureza. Este mesmo espaço deverá ser cuidado com a ajuda de toda a comunidade local.

Após a bênção dos ciclistas, muitos fiéis já aguardavam no Santuário para a realização da Missa do meio dia, que foi presidida pelo Reitor e transmitida pela TV Canção Nova.

Frei Diego recordou aos telespectadores que “o Santuário Frei Galvão está aqui no Vale do Paraíba, bem pertinho da Canção Nova. Venham nos visitar!”

Em sua reflexão lembrou que Frei Galvão é “exatamente este que nos ajuda a aliviar o peso de nossos fardos. Homem da paz e da caridade, era incansável no fazer o bem”. 

O Reitor relembrou ainda a ação de Frei Galvão e as pílulas da fé, feitas a partir de uma oração escrita pelo próprio santo: “As pílulas de Frei Galvão são a expressão de um amor criativo e caritativo”

Ao terminar a homilia, Frei Diego rezou pedindo “que Frei Galvão possa interceder por todas as pessoas que estão precisando aliviar os seus fardos.”

Esta celebração foi abrilhantada pela presença do Coral “Instrumentos da Paz”, projeto musical que se iniciou este ano, com a presença de voluntários do Santuário.

Missa da Família Missionária de Frei Galvão e carreata em homenagem a Frei Galvão

Nosso Santuário Frei Galvão é sustentado por uma grande família, que reza e também colabora materialmente conosco, fazendo com que a obra de Frei Galvão se estenda e seja cada vez mais abrangente, tanto espiritualmente quanto fisicamente

A Santa Missa da Família Missionária de Frei Galvão aconteceu às 15h e foi presidida por Frei Rodrigo e concelebrada pelo Frei João. Ela se iniciou com a entrada da relíquia de Frei Galvão, que abençoou os devotos presentes no Santuário.

Em sua mensagem na homilia, Frei Rodrigo destacou que “Frei Galvão soube muito bem como esperar no Senhor. Não fazer a vontade dos homens, mas fazer sim a vontade de Deus.”

Ao falar sobre o Evangelho, o Frei recordou que a “nossa fé cristã começa entre os mais humildes. Não estamos dizendo com isso que só os pobres se salvam. O reino de Deus é para todos, especialmente para os que fazem pequenos para fazer a vontade do Senhor.”

A Santa Missa foi celebrada na especial intenção dos membros da família missionária de Frei Galvão, devotos de todo o Brasil, que colaboram na construção do Santuário e recebem mensalmente em suas casas um informativo do Santuário, acompanhando de um boleto para contribuição espontânea. 

Após a Santa Missa, às 16h30 se iniciou a carreata em homenagem a Frei Galvão, que percorreu as ruas de Guaratinguetá, com cânticos e muita alegria, além da presença do “devotão”, caminhão utilizado nas procissões do Santuário de Aparecida. 

A carreata contou com a participação de muitos devotos e outros tantos acolheram Frei Galvão nas portas de suas casas, com vivas e enfeites colocados nas portas e janelas, agradecendo ao Santo por tantas graças e milagres. 

 

Missa Solene de encerramento das festividades

Às 18h aconteceu a última Missa do dia, presidida pelo Arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes e transmitida pela TV Aparecida.  Na celebração, o Arcebispo falou sobre a história de Frei Galvão, trazendo traços importantes da biografia do primeiro santo brasileiro.  Dentre as muitas características do santo, destacou Frei Galvão como “homem da caridade e da paz, com misericórdia foi ao encontro das pessoas.”

Além de recordar a importância da devoção a Frei Galvão e a missão do santo em nossa história, o Arcebispo falou sobre o importante tempo que vivemos na Igreja, com a presença e ação do Papa Francisco. “O Papa está pedindo Sinodalidade é uma palavra que ouvimos muito e significa um pedido para vivermos a concórdia, e tudo isso também vem de São Francisco, ao qual Frei Galvão também seguiu.”

“O Papa pede uma Igreja em saída. Vamos então levar o Evangelho saindo de nossas casas, saindo da sacristia, saindo do templo. Essa é a nossa missão”, recordou Dom Orlando.

Ao fim da celebração, o Reitor do Santuário, Frei Diego Melo agradeceu a todos os presentes dizendo que “uma pequena palavra que nasce do coração é a palavra Gratidão. Nosso agradecimento a todos os voluntários que estiveram nos ajudando durante estes nove dias de preparação e também a todos os membros da Família Missionária de Frei Galvão, que nos ajudam a conduzir a missão a partir do Santuário Frei Galvão. Paz e bem”.

Deste modo, o Santuário celebrou com grande alegria a primeira festa sob a coordenação dos frades franciscanos. E o gesto de gratidão se estende a todos os devotos que partilham do carinho pelo primeiro santo brasileiro. Este foi apenas o primeiro de muitos anos dessa história que continua com o Santuário e que se inicia para a fraternidade franciscana. 

Que Santo Antonio de Sant’Ana Galvão interceda por todos!