Santuário Frei Galvão

Sétimo dia da: Frei Galvão e a justiça.

Às 15h, os fiéis tiveram a graça de participar da santa missa com o Padre André Gustavo, do clero da Arquidiocese de Aparecida. Além de Frei Leandro Costa Santos, colaborador do Santuário, celebraram os sacerdotes: Frei Mário Luiz Tagliari, frade franciscano do Convento São Francisco (São Paulo - SP), e o Monsenhor Silvestre Félix, do Piauí. 
 
Padre André recordou o compromisso de Frei Galvão com a justiça, seu empenho em levar a bom termo esse desdobramento de uma fé comprometida. 
 
 
Frei Diego, iniciou a celebração saudando os paraninfos da noite. “Falar de justiça é falar de uma pessoa que tem o coração totalmente voltado a Deus”. “Nem sempre conseguimos ser corretos. Fazemos o mal que não queremos, e deixamos de fazer o bem que queremos. A inclinação para o pecado, para o mal, para o erro, para o injusto… Nos encaminha ao mal que não queremos. Mas como pegar o caminho correto? Vivendo nossa fé, pautada pela lei do amor”. 
 
“Viver a santidade, é o caminho para cumprir a justa e corretametne”, afirmou Frei Diego. “Ter amor e devoção a Frei Galvão é cumprir a justiça”. Questionando a maioria absoluta dos cristãos, a nível de Brasil, questionou: “Como pode perdurar a injustiça num país majoritariamente católicos?''. Para não deixar os fiéis sem uma direção cristã, retomou o evangelho de hoje, dizendo: “Sejamos capazes de dialogar. Isso ameniza, isso evita o mal da injustiça”. Ainda lembrou que a compaixão, a solidariedade é o meio pelo qual se vive a justiça. “Confundimos a justiça com vingança. Confundimos a justiça com fazer vingança com as próprias mãos”, disse o frade. 
 
“Frei Galvão se opôs a pena de morte. O preço disso foi a expulsão de Frei Galvão da cidade paulistana. Mas como Deus também é justo, agiu por meio dos seus e a expulsão não ocorreu conforme o déspota”, narrou Frei Diego. Frei Galvão é justo em tudo aquilo que ele fazia. Por isso que é venerado.
 
Trazendo um fato do próprio do Santuário, nas suas campanhas de captação de recursos para manutenção e construção do novo Santuário, e que toca o tema da justiça,  Frei Diego não deu voltas para dizer da forma justa de que eles, administradores do Santuário, vivem. “Dormimos tranquilos. Pois temos clareza de como organizar todo o valor recebido. As planilhas nos comprovam isso e a justiça que nos orienta”. 
 
 
No final da missa, a convite de Frei Diego, a Família de João Pedro deu o testemunho da graça alcançada. A mãe teve dificuldades na gravidez e recorreu ao santo, pedindo a graça da saúde. A mãe sofreu eclâmpsia, e a criança uma infecção generalizada. Por meio de uma enfermeira, que intuitivamente convidou a mãe para batizar a criança. A mãe fez a novena de Frei Galvão e assim foi atendida. A promessa da mãe é de levar a criança durante 7 anos com o hábito franciscano. “Tenham Fé”. Essa foi a recomendação da mãe. 
 
 
E Frei Diego entregou ao jovem Mateus, a Imagem peregrina de Frei Galvão, que passará por todas as paróquias da Província da Imaculada Conceição, até voltar para o Santuário Frei Galvão que será a sede da 10° Edição da Caminhada Franciscana das juventudes.